Apanha-o! Olha que ele foge!

Objectivos: Despertar a curiosidade em conhecer as outras espécies de seres vivos;
Estimular o desenvolvimento psicomotor
Desenvolver o equilíbrio e o controlo da postura Sugestão:     No tapete, o(a) educador(a) fará uma breve explicação do jogo, que se realizará no exterior da sala, focando a importância que tem o ninho para os passarinhos, abordando os possíveis perigos a que estes animais se encontram expostos.

No recreio, o(a) educador(a) desenhará cinco círculos (ninhos) no chão com cerca de um metro de diâmetro cada, com alguma distância entre eles (dependendo do tamanho do recreio).

Serão escolhidas cinco crianças do grupo, aleatoriamente, para representarem passarinhos. Estas deverão “passear” pelo recreio, enquanto são escolhidas mais duas crianças para representarem lobos. Uma outra representará uma águia e mais duas representarão árvores em dia de tempestade (estas serão as únicas que não poderão movimentar-se pelo recreio).

Os “passarinhos” irão cada um para o seu ninho e terão que respeitar uma regra: um ninho só poderá acolher um pássaro. No decorrer da actividade, se algum passarinho estiver perto de um ninho já ocupado, deverá procurar refúgio noutro.

Como todo o grupo não poderá participar, as restantes crianças ficarão a apoiar os(as) colegas num local que não perturbe o normal funcionamento do jogo.

As regras do jogo são:
- Cada passarinho procurará não ser apanhado pelos “maus”, passeando ou fugindo, não podendo estar muito tempo no mesmo ninho;

- Quando o passarinho for apanhado, terá que se sentar no seu ninho e esperar que os restantes passarinhos também sejam apanhados;

- As árvores procurarão, apesar de não se poderem movimentar, servir de obstáculos aos passarinhos para que sejam apanhados;

- Os(as) meninos(as) que representam lobos e a águia terão como missão capturar os passarinhos e prendê-los no seu ninho;

- O jogo termina quando todos os passarinhos estiverem sentados nos respectivos ninhos.



Divirtam-se!

Apoios:  apoio passaro